O Símbolo

Criação de Walter Menezes da Rocha e do acadêmico Habib Fraiha Neto.

LOGO AMP - fundo transparente.png

Consiste em logomarca inspirada no símbolo mundial da Medicina adotado a partir do século XVI. Nela, a serpente em torno do bastão e uma estrela que centraliza o conjunto dispõem-se de modo a configurar a Bandeira do Estado do Pará.

Os autores têm sido parceiros desde a juventude, quando juntos trabalharam na TV Marajoara Canal 2, desde sua fundação em 1961, Walter como criador de artes gráficas e Fraiha Neto como apresentador do telejornal diário “Imagens do Dia” e, mais tarde, do programa “7 Dias em Destaque”, de homenagem aos melhores da semana no horário nobre das noites de domingo com o Troféu Imperador (um índio carajá, criação de João Pinto), sob o patrocínio das Lojas Imperador.

Nascia então uma sólida e fértil amizade que já rendeu algumas dezenas de festejados projetos, inclusive do símbolo da Sociedade Brasileira de Parasitologia e de inúmeras medalhas comemorativas e condecorativas: a Medalha Oscar Miranda, comemorativa da formatura da Turma de Medicina do Pará em 1964; a medalha comemorativa dos 60 Anos do Colégio Na Sra de Nazaré, Belém, 1974; a medalha comemorativa do XII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical e I Congresso da Sociedade Brasileira de Parasitologia, Belém, 1976; a do Centenário do Colégio Santo Antônio e das Irmãs de Santa Doroteia na Amazônia, 1977; a medalha do Mérito Francisco Caldeira de Castello Branco, da Prefeitura Municipal de Belém; a do Centenário de Fundação do Teatro da Paz, do Governo do Estado do Pará, 1978; a Medalha Gaspar Vianna, comemorativa do IX Congresso da Sociedade Brasileira de Parasitologia em Fortaleza, 1985; a medalha dos 10 Anos de Bons Serviços Prestados ao Instituto de Terras do Pará (ITERPA), 1985; a dos 120 anos do Museu Paraense Emílio Goeldi, 1986; a medalha do Mérito Educacional Arthur Porto, do Governo do Estado do Pará; a medalha comemorativa dos 50 Anos do Instituto Evandro Chagas, Belém, 1986; a dos 30 anos da Universidade Federal do Pará, 1987; o Prêmio Dom Frei Caetano Brandão, de Pesquisa e Desenvolvimento Científico, instituído pela Santa Casa de Misericórdia do Pará; a medalha dos 20 Anos do Projeto Rondon, 1987; a dos 180 Anos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 1988; a medalha do Mérito Silva Rosado, da Sociedade Paraense de Radiologia; a medalha comemorativa do Círio 200, o de 1992, projeto sumariamente rejeitado pelo Presidente da Diretoria da Festa sob alegação de que a peça não venderia; a medalha-insígnia dos Membros Efetivos e Honorários da Academia de Medicina do Pará, 1993; a medalha Gaspar Vianna, comemorativa do 50º Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Belém, 1995; a medalha do Mérito Universitário, do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras; a medalha comemorativa dos 360 anos de fundação da Santa Casa de Misericórdia do Pará, 2010; a nova feição da medalha do Mérito Serzedello Corrêa, do Tribunal de Contas do Estado do Pará, 2016; e ainda outras.

Depois de anos de atividade ao lado de Abílio Couceiro na Mercúrio Publicidade, Walter Rocha continuou produzindo como free-lancer, até ser tristemente vitimado pela pandemia de Covid-19 em março de 2021.

Em reunião extraordinária da Diretoria da Academia de Medicina do Pará realizada no dia 4 de abril de 2021, deliberou-se incluir no símbolo, em caracteres dourados, o ano de fundação do nosso silogeu. Em virtude da perda lamentável de seu criador Walter Rocha, decidiu-se confiar a definição da nova arte ao amigo José Marcelo Pinheiro Paiva, publicitário e consultor em Marketing e Inovação, responsável pela organização do site da Academia.

 

Eis o formato que lhe é agora conferido:

LOGO AMP com ano fundo branco.png

_________

 

Referência

FRAIHA NETO, Habib. Sete Dias em Destaque. In: Memória da Televisão Paraense e os 25 anos da TV Liberal. Belém: SECULT / ORM, 2002. 116 p. [p. 45-47].